5.20.2008

18/05/2008 Sindicalistas discutem fim do Fator Previdenciário em Brasília

Sindicalistas discutem fim do Fator Previdenciário em Brasília
Jornal AGORA MS

Sindicalistas de todo o Brasil participam hoje em Brasília do Encontro Nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores – FST. De Mato Grosso do Sul participam 98 sindicalistas de diversos municípios do Estado, entre eles, de Campo Grande, Dourados, Três Lagoas, Paranaíba, Ponta Porá e Corumbá. No encontro, que começa daqui a pouco, às 10 horas, serão discutidos diversos assuntos, entre eles o fim do fator previdenciário que reduz o valor das aposentadorias em até 40%.

O presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio de Mato Grosso do Sul, Idelmar da Mota Lima, membro do FST/MS, disse que o encontro, que reúne mais de 2.000 sindicalistas de todo o País, servirá para demonstrar força para o governo do presidente Lula para que ele não vete o fim do fator previdenciário já aprovado pela Câmara Federal e que já está no Senado para apreciação. “Temos exercido uma força muito grande junto aos senadores para conscientizá-los de que o fator previdenciário,instituído no governo de Fernando Henrique Cardoso, é prejudicial a todos os aposentados brasileiros. Não temos dúvida de que iremos conseguir derrubá-lo”, comentou Idelmar.

O sindicalista explicou também que muitos trabalhadores com tempo de trabalho que permitem que sejam aposentados, se recusam a faze-lo enquanto perdurar o fator previdenciário, pois sua aposentadoria seria reduzida em até 40%, desestimulando qualquer trabalhador de se aposentar agora.

O diretor da CNTC (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio) e coordenador geral do FST/MS, José Lucas da Silva, também está presente no encontro que termina às 18 horas desta terça-feira.

O evento , segundo José Augusto da Silva Filho, coordenador nacional do FST, a ser realizado na Academia de Tênis de Brasília e contou com a presença de autoridades como o deputado federal Arnaldo Faria de Sá , que falará sobre Previdência Social, Fundos e Pensões.
Postar um comentário