10.02.2008

01/10/2008 Cumprimentos ao nosso Idoso

Dia primeiro de outubro, Dia do Idoso

Registramos nessa data a passagem do Dia do Idoso, nossa conquista, através da Lei n.º 10741, de 1.º de outubro de 2003. Já se passam 5(cinco) anos de sua sanção. Nossa sociedade ainda não evoluiu o suficiente para alcançar a importância dos idosos e o compromisso social em propiciar a eles um envelhecimento digno, porque eles formaram a sociedade em que vivemos, estabeleceram padrões sociais, construíram o conhecimento que hoje adquirimos e mais, nós somos sua extensão genética, sua continuação, portanto parte deles.
Dignidade é o grau de respeitabilidade que um ser humano merece, o que difere de caridade, de solidariedade e de assistência que trazem em um conteúdo pejorativo de impossibilidade de sobrevivência independente. Precisamos continuar lutando para que os idosos sejam dignos e assim tratados com respeito por todos.
A velhice não torna um ser humano menos cidadão que outros, ou menos importante para a sociedade, a experiência galgada pela vivência é algo que não se aprende nos bancos universitários, algo que não se alcança com vigor físico. Garantir dignidade aos idosos é ao mesmo tempo humanístico e egoístico. Humanístico porque a humanidade tem muito que aprender com eles e necessita de sua experiência e egoístico porque só assim poderemos garantir dignidade para nós mesmo porque os sobreviventes à adolescência certamente irão tornar-se idosos e, é este o nosso futuro.
Cobramos no dia a dia de nossa atividade parlamentar, aqui na Câmara dos Deputados, em Brasília, uma posição desta Casa, para o Projeto que estende aos aposentados e aos pensionistas o mesmo percentual do Salário Mínimo. É nossa preocupação, é nossa luta constante, pois os aposentados e estão perdendo muito dinheiro. É um crime o que estão fazendo com os aposentados. São cerca de 24,5 milhões de aposentados que tem direito aquilo que eles reclamam, que têm direito e que o Estatuto do Idoso lhes garante. Será que esta Casa, que votou o Estatuto do Idoso, esquece de fazer valer o direito do aposentado, o direito das pensionistas? Não podemos concordar com isso. Continuamos nossa incansável batalha, tenha a certeza disso e você poderá no dia a dia, aqui no Congresso Nacional, continuar acompanhando nosso trabalho.
Parabéns!

Postar um comentário