12.17.2008

17/12/2008 Sessão Extraordinária

O SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) Concedo a palavra ao ilustre Deputado Arnaldo Faria de Sá.

O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem.. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, aguardo com ansiedade a sessão da tarde, em cuja pauta consta o projeto que interessa a todos os aposentados e pensionistas. Trata-se do Iitem 06 da sessão da tarde. O projeto dispõe sobre o valor do salário mínimo a partir de 2007 e estabelece diretriz para a sua política de valorização de 2008 a 2023. Foi aprovado pela Comissão Especial, Relator Deputado Edgar Moura, numa emenda do Senado Federal, que estende a forma de tratamento e reajuste aos aposentados e pensionistas. Esse é um dos 3 projetos que os aposentados estão aguardando com ansiedade. Como está na pauta, eu queria contar com o apoio de todos os Srs. e Sras. Parlamentares para que possamos votar a urgência e, depois, o projeto que trata da revalorização do salário mínimo, com a emenda, aprovada pelo Senado, que estende essa situação a aposentados e pensionistas, que já foi aprovado pela Comissão Especial. Da mesma forma, peço o apoio dos Srs. E Sras. Parlamentares para a Proposta de Emenda Constitucional nº 549, que garante a carreira jurídica para os Delegados de polícia.Estamos aguardando há muito tempo a votação dessa PEC e teremos a oportunidade de votá-la hoje à tarde. Por isso, queríamos que a sessão do Congresso Nacional acontecesse rapidamente para que, depois dela, iniciasse outra sessão ordinária, na qual votaríamos as matérias remanescentes da sessão de hoje de manhã, como a que trata da situação dos subsídios do Supremo Tribunal Federal e do Ministério Público. Em seguida votaremos a matéria, que é extremamente importante para os aposentados e pensionistas. Não adianta essa história de dizer que não tem dinheiro, porque sabemos que tem dinheiro para montadoras, tem dinheiro para consultoras, tem dinheiro para financeiras, tem dinheiro para banqueiros, tem dinheiro para todo mundo na hora da crise. Então, está na hora de tratar com decência, com dignidade e respeito aposentados e pensionistas. Esta é a primeira oportunidade de esta Casa tem para provar que aqui dentro não tem filho de chocadeira.

Postar um comentário