12.17.2008

17/12/2008 Sessão Extraordinária

CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ SEM SUPERVISÃO Sessão: 326.2.53.O
Hora: 18:38 Fase: BC Orador: ARNALDO FARIA DE SÁ Data: 17/12/2008
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente. Sr. Presidente.

O SR. PRESIDENTE (Arlindo Chinaglia) - Sim, Deputado Arnaldo Faria de Sá.

O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ - Eu queria informar que os aposentados estão vindo para a Câmara dos Deputados. Eles aguardavam a votação desse projeto. V.Exa. disse que os receberia depois da sessão. Estão vindo da Catedral para cá sob chuva. Um desrespeito total que cometeremos com eles não votando esse projeto, como disse a Deputada Luciana Genro. Também lamentar que os delegados aguardaram o segundo semestre todo, que até o último momento seria colocado em votação. V.Exa. não tem culpa desse projeto não estar sendo colocado em votação, mas quero ser testemunha de que V.Exa. insistiu, persistiu até o último momento. Lamentavelmente, essa PEC não será votada, assim como o PL dos aposentados não será votado. Queria lamentar essa decisão.

O SR. PRESIDENTE (Arlindo Chinaglia) - Queria, primeiro, agradecer ao Deputado Arnaldo Faria de Sá com referência a vários temas, mas os 2 que ele mencionou, tanto a questão dos aposentados como também a PEC dos delegados, exatamente por ser um militante histórico nesses temas, ele compartilhou no limite de várias das minhas decisões.No limite significa: argumentando, ponderando, interferindo. Agradeço muito o testemunho de S.Exa., porque creio que isso é relevante. E não faço disso algo para nos colocar individualmente num patamar. É sópara que os fatos fiquem registrados tais como eles são. Aliás, dada minha experiência, uma das proposta do PTB, quando pedi o apoio da bancada, na época o Líder era o Deputado Miro Teixeira, era termos a capacidade de estabelecer prioridades. Coloquei isso, dado que o Regimento não garante, como uma, digamos, obrigação da Mesa. Mas mesmo assim, não dá conta. Teremos, então, de evoluir para o aprimoramento do processo legislativo, na minha opinião.

Postar um comentário