2.18.2009

Informes do PTB - Arnaldo Faria de Sá e Projetos de interesse de Aposentados e Pensionistas

O Deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) registrou, no Plenário, a movimentação de aposentados e pensionistas para pressionar a Câmara dos Deputados a votar alguns projetos.
“Um deles acaba com o fator previdenciário, que até não é do interesse direto dos aposentados e pensionistas, mas muito mais dos trabalhadores da ativa, que perdem, quando se aposentam, de 30% a 40%, se for homem, ou até 50%, se for mulher. Outro projeto trata da recomposição das perdas e tramita na Comissão de Seguridade Social e Família. E há ainda o PLP nº 1, pronto para entrar na pauta do plenário da Casa, que altera a vigência do salário mínimo e estende a aposentados e pensionistas”, lembrou o Deputado petebista.
“No dia 1º de fevereiro, o salário mínimo passou a valer 465 reais. E o aumento para os aposentados não se sabe em que patamar será, se de 5,92% ou de 6,22%. Não está definido. Mas qualquer que seja o índice, será inferior ao do salário mínimo. Nós, que lutamos muito para reduzir a entrada em vigor da data e da vigência do salário mínimo — historicamente era 1º maio; passou para 1º de abril e 1º de março; neste ano passou para 1º de fevereiro e, a partir do ano que vem, para 1º de janeiro —, estamos lutando também para que isso seja estendido a aposentados e pensionistas”, disse Arnaldo.
“A indignação deles é muito grande porque, historicamente, não apenas o Executivo é culpado da situação, mas também o Legislativo. É esta a responsabilidade que queremos cobrar da Casa, em respeito aos aposentados e aos pensionistas. No ano que vem haverá eleições; e, em ano de eleições, todo mundo promete mundos e fundos a aposentados e pensionistas, mas depois deixa de cumprir. Uma lei aprovada por esta Casa, a Lei nº 10.741, o Estatuto do Idoso, garante a manutenção do valor do benefício, que a cada ano se reduz mais. Vários aposentados que recebiam antes do último reajuste um pouco mais do que 1 salário mínimo ficarão com o piso de 1 salário mínimo. É dessa situação que estamos reclamando, para que não continue acontecendo”, concluiu o Parlamentar petebista.

Postar um comentário