7.09.2009

08/07/2009 Jornal Agora São Paulo

Governo deverá propor reajuste para os aposentados em agosto
Juca Guimarães do Agora
O deputado Henrique Fontana (PT-RS), líder do governo na Câmara dos Deputados, afirmou ontem que vai apresentar no início de agosto uma proposta de reajuste para os 8,1 milhões de segurados que recebem mais do que R$ 465.
A proposta oficial do governo terá algum tipo de ganho real, acima da inflação. Se não houver acordo entre o governo, os partidos de oposição e os representantes dos aposentados, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), afirmou que vai incluir na pauta de votação, ainda no mês de agosto, o projeto que dá o mesmo índice de reajuste do mínimo para todos os segurados, de acordo com a emenda do senador Paulo Paim (PT-RS), já aprovada no Senado. Neste caso, o aumento real pode ficar em 5,1%.
Em 2010, segundo a proposta de Orçamento do governo, o reajuste para o salário mínimo será de 8,9% (de R$ 465 para R$ 506,50). Atualmente, são 18,3 milhões de segurados, de um total de 26,4 milhões, que recebem até o piso do INSS. A proposta do governo, que o deputado Fontana vai apresentar, terá também uma alternativa para a extinção do fator previdenciário --outro projeto de interesse dos aposentados que aguarda a votação na Câmara.
O governo defende a regra do fator 85/ 95. Segundo Temer, se houver acordo entre o governo e os aposentados, os dois projetos serão votados até a segunda semana de agosto. Caso contrário, a votação em plenário será na terceira semana. Os aposentados não aceitam a negociação das duas propostas. "O governo pode até tentar, mas nós não vamos aceitar discutir o índice de reajuste e o fim do fator previdenciário juntos. A queda do fator, em plenário, é quase certa", disse Warley Martins, presidente da confederação dos aposentados.
Postar um comentário