3.18.2010

16/03/2010 - 374 anos de São Sebastião SP

O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pronuncia o seguinte discurso.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, quero registrar que nesta data, 16 de março, a cidade de São Sebastião comemora 374 anos de fundação. Quero parabenizar o Prefeito Ernane Bilotte Primazzi, Chefe do Executivo local, o Presidente da Câmara Municipal, Vereador Luiz Antonio de Santana Barroso, e seus nobres Edis e a toda população da nossa querida São Sebastião. A Administração iniciou na manhã de hoje as comemorações pelos 374 anos de emancipação político-administrativa de São Sebastião. O prefeito Ernane fez discurso destacando realizações nos primeiros 14 meses de governo. O prefeito Ernane Primazzi, hoje, junto com todo o secretariado, vereadores e autoridades civis e militares abriu as comemorações pelos 374 anos de emancipação político-administrativa do município, com o hasteamento das bandeiras, na Praça da Marinha, na Rua da Praia, região central de São Sebastião. A Câmara municipal realizará sessão solene também em comemoração à data, com entrega de títulos de cidadão sebastianense, a partir das 17h00, no Teatro Municipal. O prefeito iniciou seu discurso falando do recém problema com a aprovação de emenda na Câmara Federal, que promove uma nova redistribuição dos royalties do petróleo, e que pode provocar uma queda de receita municipal da ordem de mais de R% 50 milhões ao ano. Na área da educação, destacou a entrega das escola da enseada e o início das obras na escola da Topolândia. Ainda na área da educação, o chefe do Executivo ressaltou que já cumpriu o compromisso de colocar monitores nos ônibus escolares para aumentar a segurança dos alunos. Assim todas as escolas também estão com novos equipamentos como ventiladores, microondas, geladeiras e até veículos novos atender professores e diretores. que também enumerou reformas em escolas da Costa Sul e o resgate da mais tradicional instituição de ensino de São Sebastião, o colégio Henrique Botelho, que ganhou novo prédio (onde funcionava a Secretaria de Educação) e não corre mais o risco de ser desativado, como acontecia na administração passada. Adiante, faço um breve relato sobre a história da cidade de São Sebastião que, antes da colonização portuguesa, a região era ocupada por índios Tupinambás ao norte e Tupiniquins ao sul, sendo a Serra de Boiçucanga - 30 km ao sul de São Sebastião - uma divisa natural das terras das tribos. O município recebeu este nome em homenagem ao santo do dia em que passou ao largo da Ilha de São Sebastião hoje Ilhabela - a expedição de Américo Vespúcio: 20 de janeiro de 1502. A ocupação portuguesa ocorre com o início da História do Brasil, após a divisão do território em Capitanias Hereditárias. Diogo de Unhate, Diogo Dias, João de Abreu, Gonçalo Pedroso a Francisco de Escobar Ortiz foram os sesmeiros que iniciaram a povoação, desenvolvendo o local com agricultura a pesca. Nesta época a região contava com dezenas de engenhos de cana de açúcar, responsáveis por um maior desenvolvimento econômico e a caracterização como núcleo habitacional a político. Isto possibilitou a emancipação político-administrativa de São Sebastião em 16 de março de 1636. O desenvolvimento econômico prossegue baseado em culturas como a cana de açúcar. O café, o fumo e a pesca da baleia. O porto local, de grande calado natural, era utilizado para o transporte de mercadorias e também pelos navios que faziam o transporte do ouro das Minas Gerais, além de piratas e contrabandistas. Na metade do século XIX, a região tinha fazendas, onde 2.185 escravos produziram 86 mil arrobas de café no ano de 1854. A economia sebastianense entra em declínio com a abolição da escravatura e a abertura da ferrovia Santos-São Paulo, o que aumentou a saída de mercadorias pelo porto de Santos. É quando passam a predominar a pesca artesanal e a agricultura de subsistência, com pequenas roças de mandioca, feijão a milho, características das comunidades caiçaras isoladas, mesmo nos dias de hoje. Nos anos 40, implanta-se a infra-estrutura portuária e nos anos 60 a Petrobras instala o Terminal Marítimo Almirante Barroso/TEBAR, com capacidade de atracagem para navios de até 400.000 toneladas. Esse fatores tornaram-se decisivos para a retomada do desenvolvimento econômico. A "descoberta" de São Sebastião como destino turístico ocorre após a abertura da rodovia Rio-Santos no final dos anos 70, proporcionando ao município mais uma oportunidade de desenvolvimento, agora baseada no turismo. De maneira controlada e ecológica, o turismo hoje é a vocação assumida pelos sebastianenses como forma de movimentar a sua economia. Parabéns São Sebastião, pelos seus 387 anos de fundação.
Postar um comentário