4.27.2010

14/04/2010 Votar a MPV 475 - Aposentados

O SR. PRESIDENTE (Michel Temer) - Durante o transcurso das votações, darei a palavra aos senhores. Há requerimento sobre a mesa: Requer preferência para apreciação dos itens da pauta na seguinte ordem, renumerando-se os demais: nº 1, Medida Provisória nº 480, de 2010; nº 2, a Medida Provisória nº 475, de 2009.
Deputado José Genoíno, pela liderança do PT.
O SR. PRESIDENTE (Michel Temer) Não, Democratas. E o PTB?
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, nós entendemos que esse requerimento é procrastinatório. Se seguirmos a pauta normal, a segunda medida a ser votada é a dos aposentados, a MP n.º 475. Mas o que quer o Governo na verdade? Quer votar a MP nº 474, a do salário mínimo, em outro momento, e deixar a dos aposentados sem ser votada para estourar o prazo em primeiro de junho; e, ao reeditar, alterando 0,0 qualquer coisa, deixar passar a eleição para não votar a dos aposentados. Esse é o jogo! Essa é a denúncia que temos que fazer: não querem votar a medida provisória dos aposentados, mas querem mostrar para a sociedade que estão preocupados em votar apenas a do salário mínimo, deixando estourar o prazo da dos aposentados para reeditá-la e, então, votá-la depois das eleições. Essa é bandidagem que está armada, Presidente, temos que falar claramente. Não podemos admitir esse jogo. Até porque MP nº 480 é de crédito. Tudo o que é de crédito, querem votar, mas, de débito, não querem votar nada. Querem pagar os aposentados, que esperam que seja cumprido o acordo que já foi realizado com todas as centrais — 80% do valor do PIB, que são 7.71. Entre o que o Governo já ofereceu, é muito pouco.
Postar um comentário