4.27.2010

14/04/2010 Segurança Pública - Arnaldo Faria de Sá

O SR. PRESIDENTE (Michel Temer) - Desisto daquela afirmação que fiz inicialmente, segunda a qual, durante a votação da matéria, só a matéria seria discutida. Sou vencido pelos fatos. De modo que V.Exas. podem falar sobre o que quiserem.
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ - Sr. Presidente, peço a palavra pela ordem.
O SR. PRESIDENTE (Michel Temer) - Tem V.Exa. a palavra.
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, eu queria fazer um registro que acho extremamente importante e dizer que terminou agora há pouco a reunião entre as Lideranças do Governo no Senado, capitaneada pelo Deputado Líder Dagoberto, e ficou claro que há uma divergência entre o Senado e a Câmara a partir da posição do Deputado Cândido Vaccarezza, que não aceita nenhum tipo de acordo. O que querem, na verdade, é postergar, não votar a medida provisória dos aposentados já que o mês de abril praticamente está terminando, semana que vem tem um feriado, no final de maio termina o prazo da medida provisória. É bom todo mundo ficar atento para essa preocupação, que tem que ser colocada a partir de agora. E respondendo à colocação do Deputado Alberto Fraga, quem acabou com a LEP, o exame criminológico, foi esta Casa, foi a Câmara dos Deputados, depois, o Senado da República que acabou com o exame criminológico, numa proposta do ex-Secretário de Administração Penitenciária de São Paulo Nagashi Furukawa. Então, a Casa que acabou com o exame criminológico, nós não podemos culpar a Justiça por isso.
O SR. PRESIDENTE (Michel Temer) - Eu vou aguardar mais 10 minutos para se completar o quorum. Se não se completar o quorum, eu encerro a sessão, e aqueles que não estão em obstrução sofrerão, naturalmente, os efeitos administrativos.
Postar um comentário