5.11.2010

Notícias - Agência Câmara - Deputados criticam argumento de que não é possível fiscalizar bingo

O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) classificou como vergonhosas as afirmações de que o País é incompetente para fiscalizar os jogos de bingos.Ele participa de comissão geralA sessão plenária da Câmara pode ser transformada em comissão geral para debater assunto relevante, projeto de iniciativa popular ou para ouvir ministro de Estado.
A diferença entre os debates ocorridos durante a votação de matérias e a comissão geral é que, nessas ocasiões, além dos deputados, são convidados a falar representantes da sociedade relacionados ao tema debatido. sobre o tema, que ocorre neste momento no plenário da Câmara. Na avaliação dele, a intenção da Caixa Econômica Federal, ao se posicionar contra a regularização dos bingos, é apenas evitar a concorrência. Ele também criticou as declarações dos representantes do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e do Ministério Público contrárias à liberação dos jogos.

Faria de Sá argumenta que a regularização dos jogos pressupõe a obrigatoriedade da criação de mecanismos de fiscalização.
O argumento sobre a dificuldade de fiscalização também foi criticado pelo deputado Ônix Lorenzoni (DEM-RS). Ele afirmou que o que é feito “à luz do dia, com regras claras, não é maléfico para a sociedade”. Lorenzoni ainda sugeriu que as propostas que legalizam os bingos sejam votadas logo após as eleições, na primeira semana de novembro.
Postar um comentário