10.06.2011

27/09/2011 Discurso de Arnaldo Faria de Sá - Dia Nacional do Idoso

IV - ORDEM DO DIA

PRESENTES OS SEGUINTES SRS. DEPUTADOS:
O SR. PRESIDENTE (Rose de Freitas) - A lista de presença registra o comparecimento de 397 Senhoras Deputadas e Senhores Deputados.
A SRA. PRESIDENTA (Rose de Freitas) - Há sobre a mesa dois requerimentos. Se todos estão de acordo, estamos mantendo o painel da sessão anterior, em que não houve nenhuma votação. Concedo a palavra ao nobre Deputado Arnaldo Faria de Sá.
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (Bloco/PTB-SP. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, quero registrar que hoje, 27 de setembro, comemoramos o Dia Nacional do Idoso. O Dia Nacional do Idoso foi estabelecido em 1999 pela Comissão de Educação do Senado Federal e serve para refletir a respeito da situação do idoso no País, seus direitos e dificuldades. O envelhecimento faz parte de nossa vida! É um processo natural que se inicia no momento em que nascemos. Não é questão a ser aceita ou tese da qual se possa discordar. A gente envelhece e ponto. Não há, porém, limites estabelecidos para o término de nossa caminhada neste mundo. Temos é que manter sempre acesa a chama do entusiasmo, pois a vida tem encantos para aqueles que gostam dela. Em nossa sociedade, porém, envelhecer é passar da atividade para a passividade. Isso significa deixar de fazer para que façam pela gente, deixar de ser cidadã/ão, deixar de ser família, etc. Assim limitadas e isoladas, as pessoas perdem a razão de viver. É como se as pessoas idosas não tivessem valor, habilidades, direito à opinião própria, etc. Algumas expressões que se ouvem em nossa sociedade, e até em nossas famílias, em relação às pessoas idosas mostram essa mentalidade: "lugar de velho é em casa", "está ficando igual a criança, quer participar de tudo", "velho não tem mais nada para aprender". Na Bíblia, também podemos perceber que a atitude frente às pessoas idosas nem sempre foi tão pacífica ou tão tranqüila como, às vezes, ouvimos e afirmamos. Podemos perceber na leitura da Bíblia que as pessoas idosas não têm uma vida sem problemas, sem dificuldades. Mas a exortação quanto ao respeito, à valorização da sabedoria dos mais velhos sempre aparece. O Salmista, por exemplo, compara as pessoas que andam com Deus como árvores viçosas cheias de vigor e de frutos mesmo na velhice (Sl 92.13-15). A Bíblia nos mostra um horizonte diferente daquele que percebemos na nossa sociedade. "Até à vossa velhice, eu serei o mesmo e, ainda quando tiverdes cabelos brancos, eu vos carregarei; já o tenho feito; levar-vos-ei, pois, carregar-vos-ei e vos salvarei." (Is 46.4) A família, a comunidade e a sociedade precisam dignificar as pessoas idosas, assegurando sua participação na comunidade, defendendo sua liberdade, autonomia, bem-estar e garantindo-lhes o direito à vida. No contexto social temos várias formas agradáveis de viver esta fase da vida, participando de grupo de idosos, de dança, artesanato, realizando viagens, fazendo caminhadas, mantendo-se atualizado, freqüentando cursos e, desta forma, preenchendo significativamente o nosso envelhecer. E você, que se considera nessa fase da vida, não pense no número de anos que já viveu. Pense, isto sim, em como desfrutar com muita coragem, perseverança e fé os anos que tem pela frente, dedicando-se a algo que lhe interesse e orgulhando-se de sua idade, por mais avançada que seja. Tudo isso manterá seu espírito alegre e juvenil. Enfrente, pois, o entardecer da vida com responsabilidade, alegria e muito amor. Esse entardecer não acaba em uma noite fechada, mas em um amanhecer cheio de esperança. Vamos olhar para a pessoa idosa como ser humano integral, valioso e amado por Deus e por nós. Não podemos considerar apenas sua força física, mental e sua saúde. É preciso respeitar a personalidade formada, a riqueza da experiência acumulada. As pessoas idosas podem trazer de volta muitos valores perdidos pela sociedade de consumo e pela violência. Que Deus nos lembre do valor e da transitoriedade de nossa vida. Que nunca haja um tarde demais para amar, perdoar e servir. Amém. Idoso é quem tem o privilégio de viver uma longa vida… velho é quem perdeu a jovialidade. A idade causa a degenerescência das células… a velhice causa a degenerescência do espírito. Você é idoso quando sonha… você é velho quando apenas dorme. Você é idoso quando ainda aprende… você é velho quando já nem ensina. Você é idoso quando se exercita… você é velho quando somente descansa. Você é idoso quando tem planos… você é velho quando só tem saudades. Para o idoso a vida se renova a cada dia que começa… para o velho a vida se acaba a cada noite que termina. Para o idoso o dia de hoje é o primeiro do resto de sua vida… para os velhos todos os dias parecem o último de uma longa jornada. Para o idoso o calendário está repleto de amanhãs… para o velho o calendário só tem ontens. Que você, quando idoso, viva uma vida longa, mas que nunca fique velho. Aproveitando esse dia especial, que é o Dia Nacional do Idoso, conclamo esta Casa para que possamos fazer justiça, em especial aos nossos aposentáveis, aposentandos e aposentados, que esta Casa vote com a maior brevidade possível o PL 3299/2008, Fim do Maldito Fator Previdenciário e ainda o PL 4434/2008, que trata da recomposição das perdas dos benefícios. Esta Casa tem que dar uma resposta a essa classe que tem sido tão penalizada em seus benefícios, que, com a chegada da terceira idade, enfrentam problemas ainda com a saúde, com gastos elevados com medicamentos. Era o registro que tinha a fazer Senhor P. Roseli Breunig Texto retirado do site: ww.luteramos.com.br
Postar um comentário