3.05.2012

28/02/2012 Arnaldo Faria de Sá


http://intranet.camara.gov.br/internet/library/imagens/BrasaoRepublica.gif
CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ
Sem supervisão
Sessão: 020.2.54.O
Hora: 19:52
Fase: OD
Orador: ARNALDO FARIA DE SÁ
Data: 28/02/2012




O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) - Para orientar, como vota o PT?
O SR. BOHN GASS (PT-RS. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - O PT vota não, mantendo o parecer do Relator.
O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) - Como vota o PMDB?
O SR. MARCELO CASTRO (PMDB-PI. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, o PMDB entende que esta matéria é uma das mais relevantes que nós vamos votar nesta Legislatura. É só os Parlamentares verificarem o que ocorre hoje no mundo: as previdências dos grandes países do mundo estão em dificuldades, estão em falência. O déficit da Previdência do Brasil este ano é de 100 bilhões de reais, sendo que quase 60 bilhões são por conta só da Previdência pública. E isso aumenta este déficit na razão de 10% ao ano. Olhemos o nosso Brasil. Nós temos um programa maravilhoso do Fome Zero que são 14 bilhões de reais. Cinquenta milhões de brasileiros não passam fome hoje em função do Fome Zero. São 14 bilhões de reais. A Previdência consome dos cofres públicos 100 bilhões de reais.
Por isso, o PMDB pede a votação unânime da sua bancada para fazer esse benefício ao nosso País e trazer segurança e estabilidade ao servidor público para que, no futuro, a nossa Previdência não quebre como as outras estão quebradas. Agora, no caso específico, votamos não.
O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) - Como vota o PSB/PTB/PCdoB?
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (Bloco/PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, a proposta do Deputado Rubens Bueno é menos ruim do que aquela que foi relatada aqui, como uma colcha de retalhos, por vários Relatores. Na verdade, o que nós queremos denunciar publicamente é que essa Previdência do servidor público tem uma natureza privada. Interessa somente aos banqueiros. E quero cumprimentar os servidores públicos que estão aqui defendendo os futuros servidores públicos, porque chegarão eles a uma situação totalmente insustentável, sem benefício definido. Essa situação precisa ser denunciada. Quem está aqui hoje defendendo esse projeto não sabe o que passa um servidor público, qual a dificuldade que tem para exercer a sua atividade. Nós devemos respeitar um pouco mais o serviço público, porque os Governos passam e os servidores públicos permanecem. Portanto, é falta de respeito, falta de consideração tratá-los dessa maneira. Por isso, menos ruim é a proposta do Deputado Rubens Bueno, sim. (Palmas.)
Postar um comentário