5.08.2013

07/05/2013 Homenagem Póstuma ao Ministro Saulo Ramos

CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Sem redação final
Sessão: 101.3.54.OHora: 20:28Fase: OD
Orador: ARNALDO FARIA DE SÁData: 07/05/2013



O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ 
(PTB-SP. Pronunciamento encaminhado pelo orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, requeiro, que se façam constar nos Anais desta Casa que, faleceu em Ribeirão Preto, interior do Estado de São Paulo, no último dia 28 de abril, o Jurista, Ex-Consultor Geral da República e Ex-Ministro da Justiça, Dr. Saulo Ramos, aos 83 anos de idade, em razão de problemas cardíacos. Seu enterro se deu em 29 de abril, em sua terra natal, Brodowski, a mesma cidade de Portinari, o grande pintor brasileiro de fama mundial. Brodowski já dedicava, anualmente, uma semana às atividades intelectuais do Dr. Saulo. O Dr. Saulo Ramos, foi Consultor Geral da República e Ministro da Justiça do Governo do Presidente José Sarney, entre os anos de 1985 e 1990. Nesses anos deu formato jurídico aos planos Cruzado I e Cruzado II. Também nesse período criou a Advocacia Geral da União - AGU, para a defesa do Executivo da União nos processos perante o Judiciário. Em 2007, o Dr. Saulo Ramos publicou seu livro Código da Vida, que se tornou um best seller com mais de 400.000 (quatrocentos mil) exemplares vendidos, em mais de 5 (cinco)reimpressões. Era dotado de um cérebro prodigioso, capaz do rigor dos cálculos e da sinuosidade das artes. Além de jurista era festejado como poeta e intelectual, além de ser um dos maiores estudiosos da obra do poeta português Fernando Pessoa. O Brasil perde com o desaparecimento do Dr. Saulo Ramos, um dos seus maiores brasileiros. Há que se colocar em relevo a sua atuação em defesa dos perseguidos políticos, na época do regime militar de exceção. Se o PIB, Produto Interno Bruto de um país não deve ser medido tão só pelos índices econômicos e financeiros, mas, também, pelo índice de civilização de seu povo, o Dr. Saulo Ramos fará muita falta. O grande escritor alemão Goethe disse que toda palavra dita passa a fazer parte integrante de todas as forças ativas da natureza; estas palavras aqui pronunciadas desta Tribuna representam nosso tributo de respeito a esse grande brasileiro, que honrou a vida institucional e intelectual do Brasil. Seu nome, certamente, ficará guardado pela História do Brasil, como nos lembrou o Professor José Fernando Rocha.
Muito obrigado.
Postar um comentário