6.05.2013

05/06/2013 NOTICIAS

Notícias    28/02/2013

voltar para Notícias

Arnaldo Faria de Sá usa dados da ANFIP para defender a Previdência Social

Em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira (27), o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) fez uma veemente defesa da Previdência Social pública brasileira. Destacando que a Previdência pública paga cerca de 30 milhões de benefícios, ele usou dados da ANFIP para rebater a “velha ladainha” a respeito do falso déficit do sistema.
“Eu tenho aqui os dados preliminares do ano de 2012: a Previdência teve um superávit de 80 bilhões de reais. Vamos para os anos anteriores: em 2011, 77 bilhões de reais alçados da Seguridade Social. Em 2010, 56 bilhões de reais, em 2009, 32 bilhões de reais e, em 2008, 64 bilhões de reais. Portanto, sucessivamente, a Previdência Social não tem os dados que vivem sendo alardeados. E, nos dados do ano de 2011, além dos 77 bilhões de superávit, foram pagos 25 bilhões de benefícios assistenciais e mais 61 bilhões de previdenciários rurais. Então, 61 mais 25 dá um total de 86 bilhões de benefícios previdenciários. Esses dados que eu trouxe aqui são dados compilados pela ANFIP, que é a associação dos fiscais da Receita Federal”, relatou. O parlamentar usou os números da Análise da Seguridade Social, publicação anual da ANFIP que tem a edição de 2012 em processo de finalização para divulgação em breve.
Arnaldo Faria de Sá também criticou as desonerações da folha de pagamento, que afetam o caixa da Previdência. “Dizem que a Previdência está quebra, mas, ao mesmo tempo, 42 setores foram desonerados da folha de pagamento, mais 33 estão a caminho, num total de 75 setores que não mais pagarão sobre a folha a contribuição previdenciária. Aí, então, a obrigação de quem é de repor a Previdência? A obrigação é do Tesouro, mas, no ano passado, em que alguns setores já estavam desonerados, o Tesouro está devendo à Previdência Social mais de 10 milhões de reais. A desoneração é uma tentativa mortal de acabar com a previdência pública brasileira”, alertou.  Segundo ele, a Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara aprovou requerimento para que o TCU faça a auditagem do dinheiro que o Tesouro não está repassando à Previdência Social.
O deputado também criticou a criação da Funpresp, a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal. “O Funpresp, sem dúvida nenhuma, certamente vai ter o maior fundo, como os outros que estão por aí, atendendo aos interesses dos camaradas, que são os que mandam nos fundos de previdência. Por que a gente luta tanto pela previdência pública? Porque na previdência privada sempre há uma interrogação. É só lembrar do GBOX, Capemi, montepio da família militar, montepio disso e montepio daquilo”, disse. Clique aqui para ler a íntegra do pronunciamento de Arnaldo Faria de Sá sobre a Previdência Social.
Postar um comentário