9.11.2013

28/08/2013 CEANISTI - Arnaldo Faria de Sá

https://www.camara.gov.br/internet/library/imagens/BrasaoRepublica.gif
CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ
Com redação final
Sessão: 248.3.54.O
Hora: 17:00
Fase: GE
Orador: ARNALDO FARIA DE SÁ
Data: 28/08/2013

O SR. PRESIDENTE (Marçal Filho) - Por gentileza do Deputado Miriquinho Batista e da Deputada Fátima Bezerra, concedo 1 minuto ao Deputado Arnaldo Faria de Sá, para um breve registro.
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do orador.) - Obrigado, Sr. Presidente, obrigado ao Deputado Miriquinho e à Deputada Fátima. Sr. Presidente, nós estamos celebrando hoje 34 anos da anistia. Lamentavelmente, todo esse povo, através das entidades reunidas no Auditório Nereu Ramos, reclama que muitas anistias ainda não aconteceram, principalmente na área militar e muitas na área civil também.  Em maio foi feita uma relação dos descumprimentos que têm acontecido. Passados mais de 100 dias de terem sido protocolados junto a Presidente Dilma Rousseff, não foram, atéhoje, respondidos. Eles estão ansiosos aguardando uma resposta, porque muitos deles não querem anistia no cemitério, querem anistia em vida. Lamentavelmente, as respostas não têm vindo, quer da Comissão de Anistia, quer da CEI, quer da AGU, quer do Ministério da Defesa. E isso tem que ser resolvido de forma rápida, ampla e irrestrita, como se quer para a anistia também. Quero que fique registrado, nesta Casa, que os 34 anos de anistia deixam muito a desejar. Muitas dúvidas precisam ser esclarecidas e esta Casa está cobrando isso. Eu, como Relator da CEANISTI, e o Deputado Chico Lopes, como seu Presidente, estamos embasando todos os pedidos. Esperamos que esta Casa tenha uma resposta o mais rapidamente possível, porque muitos deles não aguentam mais esperar. Isso sem falar das interferências, quer do Tribunal de Contas da União, quer da Justiça, de maneira indevida, prejudicando não só os camponeses do Araguaia, como também aqueles civis do arsenal de Marinha. É preciso que a gente comemore, de verdade, a anistia neste País. Muito obrigado, Sr. Presidente.

DOCUMENTOS A QUE SE REFERE O ORADOR
Postar um comentário