10.30.2013

29/10/2013 Expressão Nacional discute aposentadoria especial

29/10/2013 16:29 - Duração: 00:54:02

Expressão Nacional discute aposentadoria especial


O trabalhador brasileiro se aposenta por idade quando completa 65 anos, no caso dos homens, ou 60 anos para as mulheres. E cada trabalhador tem que contribuir por 35 e 30 anos com o INSS respectivamente. Esta é a regra geral, mas são muitas as exceções. Até 1995, havia no país aposentadorias especiais por categorias profissionais. Desde então, passou-se a exigir que o profissional comprove efetivamente exposição a agentes nocivos à saúde para receber o benefício.
Um exemplo são os policiais militares, que têm direito à aposentadoria com menos tempo de contribuição. No Congresso, tramitam vários projetos semelhantes de aposentadoria especial, para construção civil, frentistas, garçons, cozinheiros, radialistas, taxistas, motorista de ônibus, carteiro e mecânico. Várias categorias querem tratamento diferenciado. O Governo Federal não apoia as propostas e prevê um rombo de mais de R$ 22 bilhões na Previdência Social caso os projetos sejam aprovados.
Você é a favor ou contra a aposentadoria especial? O governo federal tem razão em não apoiar projetos que dão direito à aposentadoria especial a categorias como frentistas, radialistas e empregados da construção civil? Como ficaria a Previdência Social? Esse é o tema do Expressão Nacional.

Postar um comentário