12.19.2013

11/12/2013 Arnaldo Faria de Sá

CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ

Com redao final
Sessão: 411.3.54.O Hora: 17:36 Fase: OD
Orador: ARNALDO FARIA DE S Data: 11/12/2013


PRONUNCIAMENTOS ENCAMINHADOS À MESA PARA PUBLICAÇÃO

O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ
(PTB-SP. Pronunciamento encaminhado pelo orador.) - Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, quando o Governo Fernando Henrique Cardoso não conseguiu aprovar a reforma da previdência que queria, inventou-se esse maldito fator previdenciário, que é um redutor das aposentadorias; levando em conta a expectativa de vida fixada pelo IBGE por portaria, uma grave e indesculpável culpa do Congresso, que admitiu que sem lei seria a todo ano feita essa modificação. Na época, fui contra essa lei do fator, que interessa às privadas, que, com grande soma de recursos publicitários, municia a Globo para vender a Previdência Social como quebrada — no ano de 2012, o superávit da seguridade social foi de 70 bilhões de reais, sem contar os 100 bilhões pagos de assistenciais rurais — e ainda com uma série de desonerações para inviabilizar a Previdência Social.
Conseguimos aprovar a derrubada do fator no Governo Lula, mas ele vetou
. Por isso, digo que FHC é o pai, e o Lula, o padrasto do fator, que rouba cerca de 40%, em média, do trabalhador e, se for mulher, o prejuízo é maior ainda, chegando a 50%.
Agora, com a nova portaria do IBGE, aumentado em mais de 150 dias para pleitear a aposentadoria, a avalanche de cobranças, aliás
, justas, redobram.
Vamos votar o projeto que altera esse maldito fator, pelo amor de Deus!
Era o registro
. Muito obrigado.
Postar um comentário