5.06.2014

06/05/2014 NOTICIAS

06/05/2014 - 17h20

Comissão cria grupo de trabalho sobre doença que atinge 10 milhões de brasileiras

TV CÂMARA
Dep. Alexandre Roso (PSB-RS)
Alexandre Roso, coordenador do grupo: doença impede mulheres de terem rotinas profissional e familiar normais.
O presidente da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, deputado Amauri Teixeira (PT-BA), criou, nesta terça-feira (6), o Grupo de Trabalho da Endometriose. As atividades serão coordenadas pelo deputado Alexandre Roso (PSB-RS).
De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a doença atinge cerca de 175 milhões de mulheres no mundo; sendo 10 milhões de brasileiras. “A origem, o diagnóstico e o tratamento têm sido um desafio para a medicina. Pacientes vem sofrendo com os sintomas que provocam muita dor e infertilidade”, ressalta Alexandre Roso. Ele acrescenta que a enfermidade impede a mulher de ter uma vida profissional e familiar normais.
Fazem parte do grupo de trabalho: os deputados Jô Moraes (PCdoB-MG); Marcos Montes (PSD-MG); Mandetta (DEM-MS); Janete Rocha Pietá (PT-SP); Benedita da Silva(PT-RJ); Rosane Ferreira (PV-PR); Gorete Pereira (PR-CE); Darcísio Perondi (PMDB-RS); Rogério Carvalho (PT-SE); e Rosinha da Adefal (PTdoB-AL).
Na primeira reunião do colegiado, ficou definida uma visita ao ministro da Saúde, Arthur Chioro, e a realização de um seminário para debater e buscar soluções para esse sério problema de saúde pública.
Janete Pietá sugeriu a mobilização da bancada feminina e de outros parlamentares, além dos que estão no grupo.
A doença
A endometriose é uma doença benigna provocada por células do endométrio que, em vez de serem expelidas, seguem no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde se multiplicam e sangram. Endometriose profunda é a forma mais grave da doença.
As causas ainda não estão bem estabelecidas. Uma das hipóteses é que parte do sangue reflua através das trompas durante a menstruação e se deposite em outros órgãos. Outra possibilidade é que a causa seja genética e esteja relacionada com possíveis deficiências do sistema imunológico.
Diagnóstico
Diante da suspeita de endometriose, o exame ginecológico clínico é o primeiro passo para o diagnóstico. Outros expedientes podem confirmar a doença, como exames laboratoriais e de imagem (ultrassom e endovaginal).O diagnóstico de certeza, porém, depende da realização da biópsia.
Tratamento
A endometriose é uma doença crônica que regride espontaneamente com a menopausa por causa da queda na produção dos hormônios femininos.
Mulheres mais jovens podem usar medicamentos que suspendem a menstruação. Lesões maiores de endometriose devem ser retiradas cirurgicamente.
Quando a mulher já teve os filhos que desejava, a remoção dos ovários e do útero pode ser uma alternativa de tratamento.
Da Redação – MO
Com informações da da assessoria de imprensa da Comissão de Seguridade Social e Família

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias
Postar um comentário