9.18.2014

Líder da Minoria quer investigação sobre influência de doleiro sobre Fundo Postalis

 

Líder da Minoria quer investigação sobre influência de doleiro sobre Fundo Postalis

Lúcio Bernardo Jr.
Dep. Domingos Sávio
Sávio: o Postalis tem sido alvo de denúncias de irregularidades nas aplicações, com um rombo de mais de R$ 2 bilhões.
O líder da Minoria da Câmara, deputado Domingos Sávio (PSDB-MG), vai pedir a investigação da suposta influência do doleiro Alberto Youssef sobre gestão do Instituto de Seguridade Social dos Correios, o Fundo Postalis, pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras.
Youssef está preso desde a deflagração da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que apura um esquema bilionário de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria a participação, entre outros, de políticos e ex-dirigentes da Petrobras.
Domingos Sávio destaca que, conforme reportagem publicada pela imprensa, há indícios de que um dos ex-diretores do Postalis supostamente envolvidos em operações financeiras fraudulentas Ricardo Oliveira Azevedo estaria sob influência de Alberto Youssef.
Denúncias de irregularidades
O deputado lembra que o Postalis tem sido alvo de inúmeras denúncias de irregularidades nas aplicações do fundo, que contabiliza um rombo de mais de R$ 2 bilhões, segundo a Associação dos Profissionais dos Correios. "Há indícios de ligação do doleiro que foi descoberto na Operação Lava Jato com o Fundo Postalis e que, portanto, há uma correlação entre o mesmo esquema que roubou a Petrobras e do qual participou esse doleiro, Alberto Youssef”, assinalou Sávio.
O líder apresentou em agosto requerimentos de informação dirigidos aos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Previdência, Garibaldi Alves, para saber as providências tomadas em relação às fraudes denunciadas no Postalis (RICs 4482/14 e 4483/14). "Com esse esvaziamento do Congresso, em razão das eleições, eu temo pelo futuro dos servidores dos Correios que precisam deste fundo para garantir as suas aposentadorias e seus direitos."
Os requerimentos de informação aguardam posição do relator na Mesa Diretora da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP).
O Postalis é alvo de investigação por parte da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Previc, órgão responsável pela fiscalização dos fundos de pensão no País.
Reportagem - Ana Raquel Macedo
Edição – Regina Céli Assumpção

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias
Postar um comentário